FFLCH lança o primeiro Guia Bibliográfico da USP

Iniciativa tem como alvo os alunos da universidade. Seu objetivo é incentivar a interdisciplinaridade e uma pluralidade maior na formação dos estudantes

Biblioteca da FFLCH/USP - Acervo de Filosofia.

Por Marcos Hermanson Pomar – marcoshpomar@gmail.com

A FFLCH (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas) lançou o seu Guia Bibliográfico. Estruturado como o texto “Dez Livros Para Conhecer o Brasil”, de Antonio Candido à Revista Teoria e Debate, escrito há 16 anos, o guia traz 47 textos a respeito de 47 diferentes. Cada um foi escrito por um docente da faculdade especialista na área, indicando aos interessados aqueles livros “essenciais” para os que desejam se debruçar sobre cada domínio do conhecimento.

Organizador e idealizador do projeto — que foi pensado em conjunto com o ex-diretor da faculdade, Sérgio Adorno – o professor da Letras João Roberto Faria conta como nasceu a ideia do Guia: “Havia uma preocupação acerca da interdisciplinaridade aqui na FFLCH, que para nós não era satisfatória. Um dia, conversando a respeito disso, Sérgio e eu pensamos que disponibilizando uma orientação bibliográfica poderíamos ajudar os estudantes a transitar com mais facilidade entre as áreas do conhecimento”, comenta. “Assim, um aluno que não tem tempo de cursar muitas matérias optativas, mas que, ainda assim, se interessa por assuntos externos à sua grade curricular, pode iniciar por conta própria os estudos em uma área ou noutra”.

Contente com o resultado que a implementação teve entre os professores e os alunos de sua turma, ele ressalta que, apesar de o roteiro ter sido composto ao se pensar nos estudantes da USP, o suporte permite acesso à outras universidade e ao público geral. “Essa é a vantagem de estar na página da Faculdade. Uma publicação em papel, por exemplo, teria muito menos alcance. O intuito das universidades deve ser sempre levar o conhecimento produzido aqui para além da USP, torná-lo um bem público”, ele ressalta.

Quando questionado se esse tipo de projeto poderia ser colocado em prática em outros institutos da USP, o professor é categórico: “Por que não? A ECA [Escola de Comunicações e Artes] poderia por exemplo lançar textos sobre artes plásticas, teatro, cinema brasileiro, etc. E a lógica vale para as outras escolas da USP”.

Nascido de inspiração em A Biblioteca Ideal , do intelectual francês Bernard Pivot, esse grande faz o curioso se perder entre os Nove Livros Para Conhecer a Revolução Mexicana, um Breve Itinerário para Conhecer o Teatro Russo, a Bibliografia da Literatura Árabe Andaluza e outros 44 tópicos. Segundo João Roberto, a perspectiva agora é expandir a iniciativa: “Dos 470 professores da FFLCH, 90 já se comprometeram a escrever para o Guia, e a expectativa é aumentá-lo ainda mais com o tempo, abordar cada vez mais assuntos, tornar ainda maior a interdisciplinaridade que buscamos.”