Professor da USP publica estudo inédito sobre violoncelo em língua portuguesa

Por João Paulo Almeida – joao.almeida@usp.br

O livro “Técnicas de reeducação corporal e a prática do violoncelo”, do professor Robert John Suetholz, é resultado de seu doutorado em música na Escola de Comunicações e Artes (ECA).

O estudo aponta a necessidade de se explorar meios equilibrados e naturais de se tocar violoncelo, sendo a obra em língua portuguesa mais completa sobre o assunto.

Suetholz ensina o correto posicionamento para se tocar violoncelo, sentado ou em pé, se for o caso. O músico deve “sentar-se na beirada da cadeira, com as costas retas e em posição equilibrada,com as pernas separadas e os pés apoiados no chão e colocados um pouco à frente dosjoelhos que, por sua vez, devem ficar ligeiramente abaixo do nível dos quadris”, explica Suetholz. “É essencialuma pequena curva lombar. Pode-se imaginar uma linha vertical ligando as orelhas, os ombrose os quadris, para se encontrar uma posição de equilíbrio perfeito. Dessa posição, deve serpossível ficar de pé, sem esforço, também em posição equilibrada.”

Assim como os atletas, os músicos também precisam se preparar, fazendo alongamento e aquecimento antes de tocar, de acordo com as especificidades de seu instrumento.A posição precisa ser equilibrada e explorada de forma natural, devendo permitir a liberdade de movimentos, sem fontes de tensão fortes e com a respiração livre.

Ele sugere o uso de algumas técnicas, como Pilates e Yoga, que, além de permitirem um autoconhecimento maior, ajudam com muita eficiência na reeducação do corpo, além do alongamento e aprimoramento da tonificação muscular.

A pesquisa também apresenta técnicas menos conhecidas do grande público, como Alexander e o Método Feldenkrais, que aumentam o conhecimento somático e dão espaço para incorporação de ideias novas.Elas tem muito em comum e até se complementam. “Alexander é especialmente útil para substituir hábitos ruinsou prejudiciais para hábitos novos, seja no dia a dia da pessoa, seja na maneira de tocar seuinstrumento”, afirma.

No Método Feldenkrais o músico deve prestar bastante atenção em seu corpo todo, realizando os movimentos de forma lenta e repetida, prestando atenção nas possíveis diferenças e alterações entre eles.

Além de RPG e Bio Feedback, técnica americana que desenvolve a auto-regulação, há também a técnica Rolfing, que não tem um envolvimento ativo do praticante, sendo similar a uma massagem. O músico “estica manualmente os músculos e a fáscia cronicamente encurtados oulesionados”, aliviando a tensão crônica, trabalhando a flexibilidade e corrigindo problemas de postura.

Suetholz sugere também a prática de natação para os músicos em geral, além de atividades físicas para manter o condicionamento físico, uma dieta balanceada e ingestão de muita água durante o dia.

O professor acredita que o Brasil se atrasou um pouco em reconhecer os problemas físicos dos músicos. Contudo, as dores não são exclusivas dos brasileiros e essas técnicas já estão muito difundidas em São Paulo.

Além de pesquisador, o professor Robert John Suetholz coordena a disciplina Técnicas de Reeducação Corporal e Técnicas de Abrandamento de APM – Ansiedade de Performance Musical, com o professor Amilcar Zani, na pós-graduação da Escola de Comunicações e Artes.A disciplina recebeu, no segundo semestre de 2016, diversas palestras a respeito destas técnicas e a postura dos violoncelistas.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*