Repouso hospitalar deteriora funções musculoesqueléticas do corpo

Capacidade muscular prejudicada por imobilidade pode causar quedas, reinternação e óbito

Idosos são os mais afetados pelo repouso excessivo. Imagem: Pexels

As consequências do repouso hospitalar causado pela obtenção de uma doença podem ser mais abrangentes do que aquelas causadas pela própria enfermidade contraída. A imobilidade tem impacto direto no sistema muscular, independente da doença apresentada inicialmente e o número de comorbidades.

A afirmação é sustentada pela tese de Débora Martins, fisioterapeuta e especialista em Gerontologia. Segundo a pesquisa, os pacientes, principalmente idosos, que repousam excessivamente durante o período de internação, saem com sua força e independência motora debilitada, o que pode causar futuramente quedas, reinternações e, até mesmo, óbito.

Métodos e variáveis adotados na pesquisa

O repouso hospitalar, historicamente, é adotado como medida de recuperação do caso clínico do paciente. Desde meados do século XIX até atualmente é um padrão seguido durante as internações. Apesar da melhoria em relação à enfermidade, outros aspectos físicos e funcionais saem comprometidos.

A tese é apenas um apêndice de diversas variáveis coletadas pela pesquisadora e mais duas fisioterapeutas, Patrícia Harry Lavoura e Deisy Ferreira da Silva.

“Quando se está hospitalizado há privações de muitas coisas, as pessoas ficam mais deitadas, e como consequência perde-se força muscular, s